Águas e Saneamento

Projetos

Promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de risco

A cidade de Setúbal, devido à posição geográfica, planície de cheias para onde convergem várias ribeiras cujas respetivas bacias hidrográficas apresentam elevados declives, conjugada com a fraca capacidade de retenção de água dos solos, leva a que, aquando da ocorrência de precipitações intensas de curta duração, estas originem caudais de elevada magnitude que afluem à Baixa da cidade de forma concentrada – cheias -, resultando em prejuízos elevados a vários níveis, nomeadamente humanos, económicos, ambientais e patrimoniais.

A vulnerabilidade da cidade de Setúbal às situações de cheias é um problema recorrente cuja necessidade de resolução/mitigação está perfeitamente identificada.

Com a implementação da operação candidatada são criadas medidas de proteção e controlo de cheias na cidade de Setúbal, ao nível da bacia hidrográfica da ribeira do Livramento.

Esta operação consiste essencialmente na regularização do troço final da ribeira do Livramento e construção da bacia de retenção, na reabilitação das passagens hidráulicas ao longo desse troço de ribeira, na construção das bacias de retenção das ribeiras da Gamita e do Barranco do Forte Velho e no estabelecimento a céu aberto do troço final da ribeira do Barranco do Forte Velho que foi indevidamente entubado e integrado na rede urbana.

O futuro Parque Urbano da Várzea, atualmente em construção, é uma das primeiras medidas estruturantes de adaptação e mitigação às Alterações Climáticas que está atualmente a ser implementada no coração da Cidade de Setúbal – um Parque Urbano com 19 hectares onde está a ser construída uma bacia de retenção pluvial, que reduzirá o risco de cheias na Cidade de Setúbal e serão plantadas, no imediato, cerca de 700 árvores e 30 mil arbustos.

Com o apoio de POSEUR – Programa de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos

Data de aprovação 30-12-2016
Investimento elegível – 3 660 277,53€
Taxa cofinanciamento – 85,00%
Contribuição do fundo – 3 111 235,90€
Autarquia local – 549 041,63€

Veja o vídeo sobre este projeto aqui.

Saiba mais.

A estação elevatória dos Combatentes é uma obra realizada no âmbito do programa “Otimização do Sistema de Saneamento de Setúbal” e composta por três ações previstas no PO SEUR – Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos – inserido no projeto Portugal 2020. Esta estação possibilitará uma melhoria da sustentabilidade dos sistemas de saneamento, objetivo definido pela prioridade comunitária “Ciclo Urbano da Água”.

Desta operação estruturante de saneamento resultou também a construção de mais de dois quilómetros de troços de coletores localizados na Avenida dos Ciprestes, na Praceta Manuel Nunes de Almeida e na Avenida 22 de Dezembro. Foram igualmente criados órgãos de drenagem nas avenidas dos Combatentes da Grande Guerra e General Daniel de Sousa.

Outra ação prevista no programa é a desativação da ETAR das Pontes, que se encontrava obsoleta e com capacidade limitada para tratamento de efluentes daquela zona do território. Posteriormente serão criadas duas estações elevatórias, uma nas Pontes e outra no Bairro do Capador.
– Renegociação do contrato de concessão com a Águas do Sado SA;

– Continuação do desenvolvimento do Sistema Intermunicipal de Abastecimento de Água em Alta da Península de Setúbal;

– Desenvolvimento do Observatório da Água da Região de Setúbal;

– Desenvolvimento do Projeto de reutilização da água da ETAR para rega de espaços verdes e lavagem de arruamentos;

– Monitorização e alargamento da rede de distribuição de água;

– Remodelação e ampliação da rede de drenagem de águas residuais – Estação elevatória dos Combatentes;

– Reforço da capacidade de resposta da rede de drenagem pluvial.